quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Células - Tronco : Uma Nova Descoberta!

Apesar de as pesquisas com células-tronco terem começado há não mais do que três anos em todo o mundo, resultados animadores já apareceram no ano passado: pesquisadores coreanos tiveram sucesso na clonagem terapêutica, células-tronco humanas embrionárias formaram neurônios em pacientes tratados com elas e o pesquisador escocês Ian Wilmut, pai da Dolly, conseguiu permissão para fazer clonagem terapêutica.
Poucas vezes a ciência avançou a passos tão largos em tão curto espaço de tempo. Com a aprovação das pesquisas com células-tronco embrionárias pela Câmara dos Deputados, no dia 2 de março de 2005, o Brasil entra na seleta lista de países do mundo que estão correndo em busca de tratamentos para doenças genéticas até hoje incuráveis e para lesões físicas ainda irreversíveis. Para muitos pacientes, as células-tronco embrionárias representam a única esperança de vida.
A terapia celular com células-tronco pode significar também grande avanço para as técnicas de transplante de órgãos que conhecemos hoje. Se as pesquisas derem os resultados esperados, no futuro, será possível fabricar tecidos e órgãos em quantidade suficiente para suprir toda a demanda e acabar com as longas filas para o transplante de órgãos. Do mesmo modo que trocamos peças do nosso carro, poderemos substituir órgãos com defeito ou corrigir sua função.

Com base no texto , sobre celulas-tronco, comente a cerca do conceito, classificação e aplicação da mesma nos tratamentos terapeuticos.

20 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Células-tronco são células primitivas, produzidas durante o desenvolvimento do organismo com capacidade de auto-replicação, ou seja, com capacidade de gerar uma cópia idêntica a si mesma, e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos.
    Quanto a sua classificação, podem ser: 1. Totipotentes - podem produzir todas as células embrionárias e extra embrionárias; 2. Pluripotentes - podem produzir todos os tipos celulares do embrião; 3. Multipotentes - podem produzir células de várias linhagens; 4. Oligopotentes - podem produzir células dentro de uma única linhagem e 5. Unipotentes - produzem somente um único tipo celular maduro. As células embrionárias são consideradas pluripotentes porque uma célula pode contribuir para formação de todas as células e tecidos no organismo.
    Uma das principais aplicações das células-troco é produzir células e tecidos para terapias medicinais. Atualmente, órgãos e tecidos doados são frequentemente usados para repor aqueles que estão doentes ou destruídos. Infelizmente, o número de pessoas que necessitam de um transplante excede muito o número de órgãos disponíveis para transplante. E as células pluripotentes oferecem a possibilidade de uma fonte de reposição de células e tecidos para tratar um grande número de doenças incluindo o Mal de Parkinson, Alzheimer, traumatismo da medula espinhal, infarto, queimaduras, doenças do coração, diabetes, osteoartrite e artrite reumatóide, sem o risco da rejeição, caso o doador seja o próprio beneficiado com a técnica. Mas a principal limitação é que no caso de doenças genéticas, o doador não pode ser a própria pessoa porque todas as suas células têm o mesmo defeito genético.

    ResponderExcluir
  3. As células-tronco são caracterizadas pela capacidade de auto replicação, isto é, com capacidade de gerar uma cópia idêntica a si mesma e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos. Tais células podem ser classificadas como:
    ° Totipotentes, são aquelas células que são capazes de diferenciar-se em todos 216 tecidos que formam o corpo humano, são encontradas nos embriões nas primeiras fases de divisão,isto é, quando o embrião tem 3 ou 4 dias de vida;
    °pluripotentes,são aquelas células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos, excluindo a placenta e anexos embrionários, a partir do quinto dia de vida.
    °Oligotentes, aquelas células que se diferenciam em um poucos tecidos;
    °Unipotentes,, aquelas células que se diferenciam em um único tecido.
    Quanto a sua natureza, podem ser: Adultas, extraídas dos diversos tecidos humanos e embrionárias, que só podem ser encontradas nos embriões humanos. Podem ser obtidas por: Clonagem Terapêutica,, manipulando geneticamente embriões a partir da transferência do núcleo da célula já diferenciada,;
    De um adulto ou de um embrião, para um óvulo sem núcleo;
    Do corpo humano, as células-tronco adultas são fabricadas em alguns tecidos, mas possuem limitações quanto a diferenciação;
    De embriões descartados.
    Seu principal uso se dá na Terapia Celular: tratamento de doenças ou lesões com células-tronco manipuladas em laboratório.
    Esse uso de tais células para regeneração ou reparo de tecidos é uma das áreas mais promissas na pesquisa biomédica,,,mas existe limitações tais quais: custo do procedimento e a baixa disponibilidade de doadores compatíveis e a possibilidade de conseguí-las a partir de embriões lança o problema ético de utilizar vidas humanas como simples instrumentos.
    Erica Rayane Galvão de Farias

    ResponderExcluir
  4. Células-tronco ou células-mãe são células que possuem uma melhor capacidade de se dividir dando origem a células semelhantes a de suas progenitoras. As células-tronco ainda tem a capacidade de se transformar em um processo conhecido como diferenciação celular em outros tecidos do corpo como ossos,nervo, musculo e sangue.Pode se transformar num cérebro ou até em um espermatozóide.

    Devido a essas características as células-tronco são importantes principalmente para aplicar terapias tendo um grande potencial terapeutico, também, no diabetes tipo-1, AVC ou AVE ( Acidente Vascular Cerebral ou Acidente Vascular Encefálico, truamas na medula espinhal e doenças hematológicas.

    Existem 3 tipos de células-tronco:

    Embrionárias: São encontradas no embrião humano são classificadas como pluripotentes ou totipotentes devido ao seu poder de diferenciação celular de outros tecidos

    Adultas: São encontradas em diversos tecidos, células-tronco tem uma limitação na sua capacidade de diferenciação.

    Mesenquimais: Uma população de células de estroma do tecido, tem a capacidade de se diferenciar em diversos tipos de tecidos. Por conta dessa eficiência, elas tem sido usadas para reparar ou regenerar tecidos danificados.

    As células-tronco podem se classificar como:

    Totipotentes: Podem produzir células embrionárias e extra-embrionárias

    Pluripotentes: podem produzir todos os tipos de células do embrião, menos os anexos embrionários e a placenta.

    Multipotentes: podem produzir células de várias linhagens.

    Oligopotentes: Pode produzir célula dentro de uma única linhagem.

    Unipotentes: Produzem um único tipo de célula madura.

    o principal objetivo das células-tronco é recuperar tecidos danificados por doenças e traumas.

    UTILIZAÇÃO DAS CÉLULAS-TRONCO:
    Parkinson e Alzheimer- Implantadas no cérebro, pode transforma-se em neurônios substituindo as células lesadas.

    Córneas- Podem fazer crescer novas córneas nas pessoas que não obtiveram sucesso em transplantes.

    Infertilidade- A produção de espermatozóides e óvulos, pode resolver o problema de casais inférteis.

    Mamas- Aumentar o volume das mamas, utilizando mistura de gorduras e células-tronco.Será o substituto de próteses e silicones.

    E muitos outros benefícios revolucionários no tratamento e cura de doenças atormentadoras e incuráveis. REPOSTA DE THYAGO JÁCOME DE OLIVEIRA MAIA

    ResponderExcluir
  5. As células-tronco são células que podem se diferenciar e constituir diferentes tecidos no organismo (as outras células só podem fazer parte de um único tecido especifico) além de possuir a capacidade de gerar cópias idênticas a si mesma.
    Classificam-se como:
    • TOTIPOTENTES OU EMBRIONARIAS; Conseguem se diferenciar em todos os 216 tecidos.
    • PLURIPOTENTES OU MULTIPOTENTES; Conseguem se diferenciar em quase todos os tecido, exceto Placenta e Anexos Embrionários.
    • OLIGOTENTES; Conseguem se diferenciar em poucos tecidos.
    • UNIPOTENTES; Conseguem se diferenciar em apenas um único tecido.
    A aplicação de células-tronco em tratamentos terapêuticos se trata basicamente em restaurar a função de um órgão ou tecido, transplantando novas células para substituir as células perdidas pela doença, ou substituir células que não funcionam adequadamente devido a um defeito genético.


    Camila Joplin
    Enfermagem- 1MA

    ResponderExcluir
  6. São células capazes de sofrer diferenciações, originando diversos tipos de célula (pluripotentes). Podem ser encontradas em adultos na medula óssea vermelha (multipotente), mas são as células provenientes dos embriões que são as mais utilizadas. São colhidas nos estágios iniciais de divisão embrionária, no estado de blástula.
    A maioria dos embriões utilizados é proveniente de inseminações não realizadas nos tratamentos de infertilidade. Eles seriam descartados de qualquer forma, no entanto, podem ser aproveitados nos laboratórios, em testes que podem encontrar a cura de diversas doenças como o câncer, a doença de Parkinson, a doença de Alzheimer, cardiopatias, queimaduras e, dentro de muito em breve, no tratamento de deficiências físicas e no transplante de órgãos (ajudando a desafogar as filas de transplantes).

    ResponderExcluir
  7. Células-tronco são as células com capacidade de auto-replicação, isto é, com capacidade de gerar uma cópia idêntica a si mesma e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos possuem a melhor capacidade de se dividir dando origem a células semelhantes às progenitoras.
    Podem ser:
    Adultas: extraídas dos diversos tecidos humanos, tais como, medula óssea, sangue, fígado, cordão umbilical, placenta etc. (estas duas últimas são consideradas células adultas, haja vista a sua limitação de diferenciação). Nos tecidos adultos também são encontradas células-tronco, como medula óssea, sistema nervoso e epitélio. Entretanto, estudos demonstram que a sua capacidade de diferenciação seja limitada e que a maioria dos tecidos humanos não pode ser obtida a partir delas.
    Embrionárias: só podem ser encontradas nos embriões humanos e são classificadas como totipotentes ou pluripotentes, dado seu alto poder de diferenciação. Estes embriões descartados (inviáveis para a implantação) podem ser encontrados nas clínicas de reprodução assistida ou podem ser produzidos através da clonagem para fins terapêuticos
    Classifica-se como:

    Totipotentes, aquelas células que são capazes de diferenciarem-se em todos os 216 tecidos que formam o corpo humano. As células totipotentes são encontradas nos embriões nas primeiras fases de divisão, isto é, quando o embrião tem até 16 - 32 células, que corresponde a 3 ou 4 dias de vida.

    Pluripotentes ou multipotentes, aquelas células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos, excluindo a placenta e anexos embrionários, ou seja, a partir de 32 - 64 células, aproximadamente a partir do 5º dia de vida, fase considerada de blastocisto.
    Oligotentes, aquelas células que se diferenciam em poucos tecidos;
    Unipotentes, aquelas células que se diferenciam em um único tecido.
    O principal objetivo das pesquisas com células-tronco é usá-las para recuperar tecidos danificados por doenças e traumas.
    As células-tronco são importantes, principalmente na aplicação terapêutica, sendo potencialmente úteis em terapias de combate a doenças cardiovasculares, doença neurodegenerativa, diabetes tipo-1, acidente vascular cerebral, doenças hematológicas, traumas na medula espinhal e nefropatias.

    Leidiane Mendes
    Enfermagem-1MA

    ResponderExcluir
  8. Células-tronco são as células com capacidade de auto-replicação, isto é, com capacidade de gerar uma cópia idêntica a si mesma e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos. São células que têm a capacidade de se transformar em outros tipos de células, incluindo as do cérebro, coração, ossos, músculos e pele.
    Quanto a sua classificação, podem ser:
    As células-tronco podem ser classificadas do seguinte modo:
    Células-tronco totipotentes ou embrionárias - São as células-tronco capazes de se diferenciar em qualquer tecido do organismo humano. Correspondem às células resultantes das primeiras divisões celulares, após a fecundação. Encontram-se nos embriões.
    Células-tronco pluripotentes ou multipotentes - São as células-tronco que conseguem
    se diferenciar em quase todos os tecidos humanos, exceto a placenta e os anexos embrionários. Como as anteriores, encontram-se apenas nos embriões.
    Células-tronco oligopotentes - São as células-tronco capazes de diferenciar-se em poucos tecidos. São encontradas em diversos tecidos, como no trato intestinal, por exemplo.
    Células-tronco unipotentes - São as células-tronco que apenas conseguem diferenciar -se em um único tecido, ou seja, o tecido a que pertencem. Em linhas gerais, podemos dizer que, quanto mais primitiva na linha de desenvolvimento embrionário, maior é o
    potencial de diferenciação de uma célula-tronco. As células-tronco funcionam como verdadeiros "curingas" no organismo, porque teriam a função de ajudar no reparo de uma lesão em qualquer tecido. As células-tronco da medula óssea, especialmente, têm uma função importante: regenerar o sangue, porque as células sanguíneas se renovam constantemente.
    A terapia com células-tronco ainda se encontra em estágio evolutivo e seu potencial é
    objeto de muita especulação, expectativas e esperanças. Essa terapia consiste em usar grupos de células-tronco para tratar doenças e lesões através da substituição de tecidos doentes por tecidos formados por células saudáveis. O transplante de medula óssea para o tratamento das leucemias é uma forma de tratamento com células-tronco de eficácia comprovada. A medula óssea do doador compatível contém as células-tronco hematogênicas que irão formar as novas células sanguíneas sadias. Há uma grande variedade de aplicações das células-tronco no tratamento de diversas doenças mas, há também, grandes obstáculos a serem vencidos. Entre as dificuldades técnicas existentes no emprego das células-tronco e a sua aplicação no tratamento de doenças graves que acometem os indivíduos, há uma série de perguntas que ainda não foram satisfatoriamente respondidas. Um dos principais objetivos do estudo das células-tronco embrionárias é a coleta de informações sobre os eventos complexos que ocorrem durante o desenvolvimento do embrião humano. É preciso saber como as células-tronco indiferenciadas tornam-se células de determinados tecidos. Sabe-se que a manipulação de genes (introduzindo ou removendo) pode interferir na diferenciação celular. A melhor compreensão dos controles moleculares e genéticos pode contribuir para conhecer como doenças do tipo do câncer e doenças congênitas se originam e como podem, eventualmente, ser mais adequadamente tratadas. Algumas linhagens de células-tronco podem ser usadas para testar a potência e a eficiência de determinadas drogas, como as que se usam no tratamento de alguns tipos de câncer, por exemplo, e muitas outras drogas potentes, antes da sua indicação para uso em humanos, ainda que em caráter experimental. Talvez a maior esperança do uso das células-tronco resida na geração de células capazes de serem usadas como terapia substitutiva de células danificadas por doenças, em lugar dos transplantes. As células-tronco diferenciadas podem ser usadas em doenças como o mal de Parkinson, doença de Alzheimer, doenças e traumatismos da medula espinhal, acidentes vasculares cerebrais e um sem número de outras doenças severas e incapacitantes.

    ResponderExcluir
  9. Universidade Potiguar
    Enfermagem 2011.2 1M.A

    As células-tronco são células indiferenciadas ou com baixo grau de diferenciação, encontradas em tecidos embrionário e extra-embrionário. Podem permanecer em estado quiescente até a fase adulta, através da auto-replicação, ou diferenciar-se em diversos tecidos, a partir da expressão de determinados genes, e exercer funções específicas. Muitos estudos vêm sendo direcionados para a utilização dessas células na terapia de várias doenças, e os resultados obtidos até então são bastante promissores, o que faz muitos autores acreditarem que as células-tronco representam a terapia do futuro, podendo significar a cura de determinadas doenças, tais como diabetes, cardiopatias, câncer e mal de Alzheimer.

    Ismael Oliveira

    ResponderExcluir
  10. natasha silva
    Células-troncos são células mestras que têm a capacidade de se transformar em outros tipos de células, incluindo as do cérebro, coração, ossos, músculos, sangue e pele.
    O principal objetivo das células-tronco é usá-las para recuperar tecidos danificados por doenças, traumas e lesões.
    São encontradas cordão umbilical, na medula óssea, no sangue, no fígado, na placenta e no líquido amniótico em ( células embrionárias).também Podem ser encontradas em adultos na medula óssea vermelha (multipotente) , Sistema nervoso e epitélio. Entretanto, estudos demonstram que a sua capacidade de diferenciação seja limitada e que a maioria dos tecidos humanos não podem ser obtidas a partir delas.
    Quanto a sua classificação, podem ser:
    - Por Clonagem Terapêutica é a técnica de manipulação genética que fabrica embriões a partir da transferência do núcleo da célula já diferenciada, de um adulto ou de um embrião, para um óvulo sem núcleo. A partir da fusão inicia-se o processo de divisão celular, na primeira fase 16-32 são consideradas células totipotentes.( - Totipotentes são aquelas células que são capazes de diferenciarem-se em todos os 216 tecidos que formam o corpo humano, incluindo a placenta e anexos embrionários).
    Na segunda fase 32-64 serão células pluripotentes ( - Pluripotentes ou multipotentes, aquelas células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos.) blastocisto que serão retiradas as células-tronco para diferenciação, in vitro, dos tecidos que se pretende produzir. Nesta fase ainda não existe nenhuma diferenciação dos tecidos ou órgãos que formam o corpo humano e por isso podem ser induzidas para a terapia celular.
    - Oligotentes, aquelas células que se diferenciam em poucos tecidos;
    - Unipotentes, aquelas células que se diferenciam em um único tecido.
    em células embrionárias que são encodadas

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. ESSA RESPOSTA É DE LEILA CRISTINA PEIXOTO!!! NÃO DEU CERTO P ELA SE CADASTRAR AÍ ESTÁ MANDANDO PELO MEU!!!!
    EU JÁ MANDEI A MINHA RESPOSTA, MAS SÓ COLOQUEI "ANDRESSA"!!! VALEWWWW!!!
    Células-tronco são células caracterizadas pela capacidade de auto-replicação, isto é, com capacidade de gerar uma copia idêntica a si mesma e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos. Quanto a sua classificação podem ser: totipotentes células capazes de diferenciar-se em todos os tecidos que formam o corpo humano, incluindo a placenta e anexos embrionários; Pluripotentes são células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos excluindo a placenta e anexos embrionários; Oligopotentes são células que se diferenciam em poucos tecidos; Unipotentes celulas que se diferenciam em um único tecido. Quanto a sua natureza podem ser adultas extraídas de diversos tecidos humanos e embrionários que só podem ser encontrados nos embriões humanos. Podem ser obtidos por clonagem terapêutica. A aplicação de celulas-tronco nos tratamentos terapêuticos tem significado um avanço de extrema importância na historia da ciência no tratamento de Parkinson, Alzheimer, córneas, infertilidade, mamas como também em busca da cura de várias outras doenças.

    ResponderExcluir
  13. Células-tronco são as células com capacidade de auto-replicação, isto é, com capacidade de gerar uma cópia idêntica a si mesma e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos.
    Quanto a sua classificação, podem ser:
    Totipotentes, aquelas células que são capazes de diferenciarem-se em todos os 216 tecidos que formam o corpo humano, incluindo a placenta e anexos embrionários. As células totipotentes são encontradas nos embriões. Pluripotentes ou multipotentes, aquelas células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos, excluindo a placenta e anexos embrionários. Oligotentes, aquelas células que se diferenciam em poucos tecidos;
    Unipotentes, aquelas células que se diferenciam em um único tecido.
    Quanto a sua natureza, podem ser:
    Adultas, extraídas dos diversos tecidos humanos, tais como, medula óssea, sangue, fígado, cordão umbilical, placenta etc. (estas duas últimas são consideradas células adultas, haja vista a sua limitação de diferenciação). Embrionárias, só podem ser encontradas nos embriões humanos e são classificadas como totipotentes ou pluripotentes.
    Podem ser obtidas:
    Por Clonagem Terapêutica, que é a técnica de manipulação genética que fabrica embriões a partir da transferência do núcleo da célula já diferenciada, de um adulto ou de um embrião, para um óvulo sem núcleo. Do Corpo Humano, onde as células-tronco adultas são fabricadas em alguns tecidos do corpo, como a medula óssea, sistema nervoso e epitélio, mas possuem limitação quanto a diferenciação em tecidos do corpo humano.
    De Embriões Descartados (inviáveis para implantação) e Congelados nas clínicas de reprodução assistida.
    Podem ser utilizadas:
    Em terapia Celular: tratamento de doenças ou lesões com células-tronco manipuladas em laboratório.
    A clonagem reprodutiva é a técnica pela qual se forma uma cópia de um indivíduo. O procedimento basea-se na transferência do núcleo de uma célula diferenciada, adulta ou embrionária, para um óvulo sem núcleo com a implantação do embrião no útero humano. Gêmeos univitelinos são clones naturais.
    A principal diferença da clonagem terapêutica para a clonagem reprodutiva é que nas duas situações há transferência de um núcleo de uma célula diferenciada para um óvulo sem núcleo. Mas na técnica de clonagem para fins terapêuticos as células são multiplicadas em laboratório para formar tecidos específicos e nunca são implantados em um útero.
    A principal vantagem que se tem da clonagem terapêutica para a obtenção de células tronco é a fabricação de células pluripotentes, potencialmente capazes de produzir qualquer tecido em laboratório, o que poderá permitir o tratamento de doenças cardíacas, doença de Alzheimer, Parkinson, câncer, além da reconstituição de medula óssea, de tecidos queimados ou tecidos destruídos etc, sem o risco da rejeição, caso o doador seja o próprio beneficiado com a técnica. Mas a principal limitação é que no caso de doenças genéticas, o doador não pode ser a própria pessoa porque todas as suas células têm o mesmo defeito genético.
    A clonagem para fins terapêuticos não pode reproduzir seres humanos, porque nunca haverá implantação no útero. As células são multiplicadas em laboratório até a fase de blastocisto, 32-64 células, sendo a partir desse estágio manipuladas para formação de determinados tecidos. Além disso, nessa fase o pré-embrião é constituído por um aglomerado de células que ainda não tem sistema nervoso.

    BRUNA SILVA DO NASCIMENTO
    ENFERMAGEM - 1MA

    ResponderExcluir
  14. As células tronco são células não diferenciadas que podem dar origem a outros tipos de células, podem ser encontradas tanto em embriões como em adultos. Uma das principais aplicações é produzir células e tecidos para terapias medicinais . Elas são de diversos tipos e um verdadeiro tesouro, pois podem originar outros tipos de células e promover a cura de diversas doenças como o câncer, o Mal de Alzeimer e cardiopatias.

    ResponderExcluir
  15. Células-tronco: são as células com capacidade de auto-replicação, isto é, com capacidade de gerar uma cópia idêntica a si mesma e com potencial de diferenciar-se em vários tecidos. As células-troncos são divididas em duas fases.Na fase adultas e na fase embrionárias
    Classificação:
    Totipotentes: células capazes de diferenciarem-se em todos os 216 tecidos que formam o corpo humano, incluindo a placenta e anexos embrionários. As células totipotentes são encontradas nos embriões nas primeiras fases de divisão.
    Pluripotentes ou multipotentes: células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos, excluindo a placenta e anexos embrionário a partir de 32 - 64 células, aproximadamente a partir do 5º dia de vida, s células internas do blastocisto são pluripotentes enquanto as células da membrana externa destinam-se a produção da placenta e as membranas embrionárias;
    Oligotentes: células que se diferenciam em poucos tecidos;
    Unipotentes: aquelas células que se diferenciam em um único tecido.
    Podem ser utilizadas:

    Terapia Celular: tratamento de doenças ou lesões com células-tronco manipuladas em laboratório. O uso deste tipo celular na terapia pode ser mais uma alternativa para a reversão da doença.

    Nyascara Maclaine 1MA

    ResponderExcluir
  16. As células-tronco podem ser utilizadas para substituir células que o organismo deixa de produzir por alguma deficiência, ou em tecidos lesionados ou doentes. As pesquisas com células-tronco sustentam a esperança humana de encontrar tratamento, e talvez até mesmo cura, para doenças que até pouco tempo eram consideradas incontornáveis, como diabetes, esclerose, infarto, distrofia muscular, Alzheimer e Parkinson. O princípio é o mesmo, por exemplo, do transplante de medula óssea em pacientes com leucemia, método comprovadamente eficiente. As células-tronco da medula óssea do doador dão origem a novas células sanguíneas sadias. Atualmente, as células-tronco podem ser mantidas em laboratório por meio de culturas celulares, sendo utilizadas na pesquisa sobre o tratamento de doenças como leucemia, diabete, infarto, entre outras. O objetivo desses tratamentos é realizar a reposição de tecidos danificados, devido a doenças ou acidentes, substituindo-os por células saudáveis. A totipotência das células-tronco embrionárias despertas grandes interesse científico, uma vez que podem originar diversos tipos celulares. O tratamento de algumas doenças - como, por exemplo, câncer, mal de Alzheimer, osteoporose, problemas do coração e cegueira - pode ser auxiliado pela terapia com essas células. As células-tronco são formadas no embrião apenas até este atingir entre 32 e 64 células, ou seja, muito antes da formação de qualquer tecido embrionário.

    ResponderExcluir
  17. Células Tronco...
    São células capazes de sofrer diferenciações, originando diversos outros tipos de células. Podem ser encontradas em adultos na medula óssea vermelha, mas são as células provenientes dos embriões que são as mais utilizadas; também são extraídas de diversos outros tecidos do corpo humano, tais como: sangue, fígado, placenta e outros.
    São colhidas nos estágios iniciais da divisão embrionária, chamada de blástula.
    A maioria dos embriões utilizados é proveniente de inseminações não realizadas no tratamento de infertilidade, pois os mesmos seriam descartados de qualquer forma, no entanto, podem ser aproveitados nos laboratórios, em testes que podem encontrar a cura para diversas doenças como o câncer, a doença de parkinson, mal de alzheimer, cardiopatias, queimaduras e brevemente, no tratamento de deficiências físicas e transplante de órgãos.
    Tendo que dessa forma há de diminuir o número de pessoas em filas de transplantes.
    CLASSIFICAÇÃO:
    PLURIPONTES OU MULTIPONTES: São aquelas células capazes de diferenciar-se em quase todos os tecidos humanos, excluindo a placenta e anexos embrionárois, a partir de 32 a 64 células, depois do 5º dia de vida, fase conhecida como blastocisto.
    OLIGOPOTENTES: São aquelas células que se diferenciam em poucos tecidos.
    UNIPOTENTES: São as células que se diferenciam em um único tecido.
    TOTIPOTENTES: São aquelas células capazes de se diferenciar em todos os 216 tecidos que formam o corpo humano, elas são encontradas nos embriões nas primeiras fases de divisão, ou seja, quando o mesmo tem até 16 a 32 células, o que corresponde a 3 ou 4 dias de vida.
    O uso dessas células para regeneração ou reparo de tecidos é uma das áreas mais promissas das pesquisas biomédicas...
    Mas existem limitações, entre elas: o custo de procedimento e a baixa disponibilidade para consegui-las.

    ResponderExcluir
  18. As células-tronco, também conhecidas como células estaminais, indiferênciais (ou seja não possui uma função determinada) Se caracterizam pela capacidade de transformar diversos tipos de tecidos que formam o corpo humano.
    As mesmas são de dois tipos:
    células-tronco adultas: Que podem ser encontradas em diversas partes do corpo humano. São mais utilizadas para fins medicinais, como as células de cordão umbilical, de placenta e medula óssea. Por serem retiradas do próprio paciente, oferecem baixo risco de rejeição nos tratamentos médicos.
    células-tronco embrionárias: São células extraídas do animal ainda na fase embrionária. Como característica principal elas apresentam uma grande capacidade de se transformar em qualquer outro tipo de célula. Embora tenha esta importante capacidade, pesquisas com estes tipos de células ainda se encontra-se em fase de testes.
    Vários cientistas acreditam que no futuro as células-tronco possam ser empregadas na cura de algumas doenças, exemplos: Mal de Alzheiner, leucemia, O mal de Parkinson e até mesmo Diabetes. Que através do método da clonagem terapêutica, varias lesões e doenças degenerativas seriam resolvidas. Eles acreditam tecidos, músculos, nervos e até mesmo órgãos poderão em breve serem reconstituídos com a aplicação deste tipo de tratamento, combatendo diversas doenças crônicas.
    As pesquisas genéticas, e os tratamentos com células-tronco recebem fortes criticas de diversos setores da sociedade em especial dos religiosos. Por considerarem os embriões como sendo uma vida em formação, os mesmo afirmam que manipular ou sacrificar embriões de seres humanos constitui um assassinato.
    Em Países conservadores as pesquisas estão paradas ou limitadas a utilização das células adultas. Existem linhas de pesquisa que tem como objetivo reprogramar uma célula somática qualquer para se tornar uma célula-tronco embrionária para fins terapêuticos.
    Outra corrente de pesquisadores propõe a reprogramação de células somáticas introduzindo o citoplasma de células-tronco embrionárias.
    O problema está em não se ter o domínio dos eventos que envolvem a reprogramação do núcleo, como a ativação antecipada de genes que estavam inativos, o inicio da síntese de DNA, alteração na estrutura cromatina, além de não se ter conhecimento das alterações moleculares de um núcleo adulto transplantado para um ovócito anucleado.
    Há outras questões que abordam sobre a capacidade das células-tronco embrionárias também de ordem ética. Por exemplo: As células-tronco embrionárias podem ser consideradas um embrião? Um embrião que se desenvolve a partir da transferência do núcleo de uma célula de adulto humano para o ovócito de outro animal poderia ser considerado humano? Este embrião se permitido, se desenvolveria a termo?
    As células-tronco embrionárias para propostas terapêuticas seriam utilizadas até o estagio de blástulas, quando ainda não ocorreu nenhuma formação de tecidos diferenciados.
    É necessário muita discussão para se poder estabelecer qual é o limite, se é que existe para a descoberta, para o conhecimento sem que este seja direcionado para fins antiéticos.


    Leocarina Leandro - 1MA 2011.2

    ResponderExcluir
  19. As células-tronco embrionárias são consideradas extremamente importantes, já que se tratam daqueles que possuem a capacidade de se modificarem durante o processo reprodutório gerando os tecidos, órgãos, é justamente ai uma das suas características, a partir daíse pode vislumbrar as outras duas, são células não-especializadas, ou seja, não são diferenciadas, já que não formam tecidos ou órgãos, por outro lado, se renovam por meio de divisão celular.
    São classificadas em:
    - células totipotentes = são aqueles que possuem a informação genética necessária para se transformar em qualquer tipo de célula do corpo, exemplarmente temos placenta;
    - células pluripotentes = são também altamente capazes de se tornarem qualquer tipo de célula para a formação de um órgão, exceto a placenta;
    - células multipotentes = podem dar origem a vários tipos celulares, entretanto, em número de variedade bastante inferior se levando em consideração as células pluripotentes
    Em relação ao tratamento terapêutico das células-tronco, não sendo mais redundam diante de tudo que já foi explicitado, basta mencionar que por se tratar de algo que ainda precisa ser muito estudado , não se sabe ao certo a extensão das possibilidade que as cercam, as esperanças ainda alimentam a muitos dessa geração, entretanto, provavelmente, pelo forma experimental e cientifica que exige muita certeza até que chegue nos humanos, não colhamos os frutos desta árvore inteiramente.

    ResponderExcluir
  20. Ao passar pela net afim de encontrar novos amigos e divulgar o meu blog, me deparei com o seu que muito admiro e lhe dou os parabéns, pois é daqueles blogs que gostaria que fizesse parte de meus amigos virtuais.
    Se desejar visite o Peregrino E Servo. Leia alguma coisa e se gostar siga, Saiba porém que sempre vou retribuir seguindo também o seu blog.
    Minhas cordiais saudações, e um obrigado.
    António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir